Business Intelligence (BI): saiba quando implementar o Job Rotation na sua empresa

A evolução da tecnologia trouxe à tona os conceitos de Business Intelligence e Job Rotation. Isso ocorre porque a lógica do funcionamento das empresas atualmente é a base da utilização de dados para criar estratégias e realizar operações objetivas.

Além do uso de dados, o Business Intelligence (BI) envolve não apenas a coleta de dados, como também tudo o que pode ser feito com eles, como a visualização e análise a partir de avançadas ferramentas tecnológicas. Já o Job Rotation tem a ver com trazer dinamismo para a empresa, ao dar novas oportunidades para os colaboradores atuarem em setores diversos e exercer funções diferentes.

Tanto o Business Intelligence quanto o Job Rotation mostram facetas de um novo jeito de empreender. É preciso seguir as tendências do consumidor, e isso faz parte de acompanhar os movimentos do mercado. Já que as pessoas usam a internet cada vez mais, é necessário usar as ferramentas digitais para elaborar estratégias adequadas para explorar esse mercado.

Com tanto consumo de conteúdo online, e com tanto uso das redes sociais, e dos próprios buscadores para obter informações, as empresas ganham de forma quase espontânea acesso a uma quantidade enorme de dados. É o uso das ferramentas, softwares e apps, que determina como serão minerados, analisados e utilizados nas estratégias.

O que o Business Intelligence traz é uma celeridade nos processos da empresa, bem como uma forma de trabalhar cíclica. Com o uso de dados e tecnologia, é possível criar um plano de negócios onde os processos são ininterruptos. A criação desse fluxo é o que garante os bons resultados que faz a empresa sobressair no mercado.

Conheça a seguir a definição de Business Intelligence, Job Rotation e descubra como relacionar esses dois conceitos para aplicar na equipe. Veja também quando é necessário implementar essa forma de processo empresarial e qual é o principal objetivo dessa estratégia. Por fim, saiba quais são os pilares que norteiam esses conceitos e descubra como você pode aplicar cada um deles no seu negócio.

O que é Business Intelligence?

É preciso dizer que o Business Intelligence se trata de um conceito bem amplo. Não se limita apenas a uma atividade, como a coleta de dados, mas a todo um processo, onde obter dados faz parte de um desses processos, como também: armazenar, analisar, criar estratégias no negócio, etc.

Hoje em dia, as empresas precisam de muitos de dados para fazer qualquer coisa. Com o nível de competição do mercado cada vez mais alto, aliado ao nível de exigência dos consumidores, as ações de uma empresa devem ser extremamente assertivas. Quanto maior o número de informações levantadas, maiores as chances das táticas usadas darem certo.

Qual é o principal objetivo do Business Intelligence?

Ao seguirmos a lógica apresentada como um fio condutor ao longo de todos os benefícios, podemos descobrir qual é o seu principal objetivo. A resposta é: tomar decisões.

Rotineiramente, os líderes e gestores de cada setor da empresa se vêem diante de decisões importantes, das maiores às menores. Como é preciso analisar os dados tanto do presente quanto os históricos, essa tarefa seria muito difícil sem o Business Intelligence.

Com essa ferramenta e esse processo de exploração de dados, os tomadores de decisão cometem poucos erros e mantêm um ritmo operacional otimizado, pois as decisões geram frutos positivos para a empresa. Aliar essa prática ao Job Rotation é ainda melhor, pois uma integração genuína entre setores, com base na mineração e análise de dados, torna as operações empresariais ainda mais fluidas.

Basta imaginar o oposto de utilizar Business Intelligence para a tomada de decisões, a fim de perceber o quanto uma análise de dados superficial ou inadequada é perigosa para a empresa.

Vale enfatizar que o Business Intelligence levanta dados, mas vai muito além disso. As ferramentas tecnológicas permitem um uso extremamente dinâmico de informações e trazem lógica para todas as decisões tomadas.

Quais os benefícios do Business Intelligence?

Veja a seguir 10 benefícios de implementar o BI na sua empresa:

  1. A inteligência empresarial permite que as empresas tomem decisões melhores;
  2. Determinar as necessidades de seus clientes para oferecer produtos ou serviços melhores;
  3. Eficiência e produtividade de processos internos;
  4. Monitorar e analisar melhor a concorrência;
  5. Maior visibilidade sobre os principais KPIs (indicadores-chave de performance);
  6. Identificação rápida de oportunidades de negócios;
  7. Melhor gestão de recursos;
  8. Inovação de produtos ou serviços;
  9. Elaborar estratégias de Marketing mais eficientes;
  10. Ambiente organizacional saudável;

Quando implementar o Business Intelligence?

Quando uma empresa cresce, o próprio negócio demanda que certas ações sejam tomadas para que ela não estagne ou não volte para trás. Com isso, o você pode utilizá-lo nos seguintes casos:

  • Analisar comportamento dos clientes com dados mais específicos
  • Analisar as empresas concorrentes
  • Acompanhar o desempenho da empresa, por setor e de forma ampla
  • Identificar oportunidades de lucro ainda não encontradas
  • Fazer previsões de resultado
  • Otimizar todas as operações
  • Descobrir erros internos
  • Analisar as tendências do mercado para “sair na frente”

Cada uma das necessidades apontadas acima ocorrem de maneira natural, pois fazem parte da evolução de qualquer empresa.

Os 3 pilares do Business Intelligence:

Para resumir o que é, basta recordar de seus três famosos pilares

  1. Coleta de dados
  2. Organização e análise
  3. Ação e monitoramento

Perceba que esses pilares seguem a exata ordem de tudo o que qualquer setor em uma empresa saudável já faz. Afinal, é impossível empreender por um tempo continuado sem obter informações, organizá-las e analisá-las, e finalmente implementar estratégias com base nas informações e depois monitorar os resultados. Cada uma dessas ações representa as fases do ciclo de operações na empresa, que se tornam mais fáceis e eficazes com a implementação do ciclo de Business Intelligence.

O que é Business Intelligence
Fonte/Reprodução: original

Leia também: 6 maneiras de aplicar o Kaizen no planejamento financeiro da sua empresa

Mas também é preciso mencionar que nem sempre as táticas empregadas em qualquer das fases do processo empresarial dão certo. Por isso é necessário ter rapidez na análise dos dados para corrigir os erros quanto antes, além de encontrar soluções melhores. Para dar velocidade a essa contenção de danos, por se dizer, é possível contar com o Business Intelligence.

As últimas evoluções que mostram que esse processo abrange novos aspectos. Entre todas as ações e ferramentas envolvidas na Inteligência Empresarial, vemos:

  • Minerar dados – descobrir padrões novos a partir de conjuntos grandes de dados, com uso de estatísticas;
  • Gerar relatórios – fase em que os dados são compartilhados entre as partes interessadas dentro da empresa com intuito de tomarem boas decisões;
  • Fazer métricas de desempenho – além de compartilhar, é necessário comparar os dados atuais com os mais antigos; estudar o histórico da empresa;
  • Fazer análise descritiva – pegar os dados obtidos pelas ferramentas e com o volume somado de informações fazer análises;
  • Fazer consultas – através de perguntas específicas, extrair respostas a partir do conjunto de dados levantados e analisados;
  • Fazer análise estatística – esse tipo de análise é mais profunda do que a descritiva e, para isso, é necessário fazer análises claras e objetivas;
  • Visualizar dados – ato de transformar os dados em auxílio visual, como gráficos, tabelas, fluxogramas, etc;
  • Preparar dados – identificar todos os dados e compilar em grupos para facilitar a etapa da análise;

Cada um desses aspectos do Business Intelligence demonstra o quanto esse conceito é um processo, onde cada parte deve ser pensada tanto individualmente quanto em conjunto com as outras funções e setores dentro de uma empresa.

O que é o Job Rotation?

Uma empresa bem-sucedida atualmente se move tanto na direção tecnológica quanto na humana. Se, por um lado, o Business Intelligence diz respeito à coleta e uso de dados através de ferramentas digitais, por outro lado o Job Rotation se refere ao potencial dos colaboradores de uma empresa.

Como seu nome sugere, o Job Rotation trata-se de fazer um rodízio entre os colaboradores da empresa. Esse rodízio pode ser no mesmo setor ou entre setores diferentes. Por exemplo, colocar um ou mais colaboradores do setor de atendimento ao cliente no setor de marketing.

Por mais que soe contraprodutivo retirar um colaborador de sua função “original” para colocá-lo em outra função ou setor, isso na verdade contribui para a integração entre setores de uma empresa. Porque, eventualmente, o colaborador chega ao fim do rodízio e volta para sua função original com um conhecimento muito mais abrangente de como a empresa funciona, ao invés de trabalhar na mentalidade engessada de um cargo isolado.

Assim, o Job Rotation é um conceito empresarial novo que rompe com a proposta tradicional de especializar, isolar e alienar.

Podemos dizer que o Job Rotation funciona melhor do que enviar o colaborador para palestras e eventos. Obviamente, o treinamento nunca deve faltar. Mas exercer a função na prática é a melhor forma de ensinar, além de ser a menos onerosa.

Tornar o Job Rotation parte da cultura da empresa é uma forma de trazer maior autonomia para o corpo de colaboradores. Quanto mais cada um deles conhecer do negócio, maior amplitude de informações terão para tomar decisões. De fato, uma das consequências desse sistema de trabalho é dar aos colaboradores, de todos os setores, a capacidade e a chance de tomarem decisões, de contribuírem nos planos e táticas da empresa.

Tudo isso que o Job Rotation faz provoca uma noção de pertencimento nos colaboradores. Ir de uma função para a outra, aprender como a empresa funciona na prática e ter poder decisório contribui para se sentirem valorizados, partes importantes do negócio. A consequência disso é um desempenho cada vez melhor de suas funções, não importa quais sejam.

Mas é válido lembrar que nem todos os funcionários se adaptam ao Job Rotation, simplesmente por não terem um perfil para as mudanças. Ademais, é preciso implantar um sistema de rotação de funções bem organizado para isso promover produtividade e não confusão na mente dos colaboradores.

Como o aplicar o Job Rotation com Business Intelligence?

Há vários motivos que demonstram porque o Business Intelligence é uma das estratégias mais aplicadas nas empresas devido aos seus benefícios inegáveis. E, é claro que com o Job Rotation o BI não seria diferente.

O primeiro motivo tem a ver com os custos de Marketing. Porque, de fato, o Marketing Interno de uma empresa é de extrema importância para manter a equipe engajada, além de ser um setor fundamental para analisar e corrigir problemas de trabalho. Para isso, o Business Intelligence pode agregar ao Job Rotation ao fornecer informações relevantes ao coletar dados ao longo dos processos.

Para que serve o Business Intelligence
Fonte/Reprodução: original

Leia também: Gestão de compras: 9 dicas para reduzir os custos da sua empresa [e mais…]

Com isso, o setor de marketing da empresa tem informações o suficiente para abandonar anúncios que não rendem os resultados esperados e criar outros, que podem ser melhores. A rapidez nessa decisão depende dos dados levantados pelo Business Intelligence.

O segundo motivo se liga ao primeiro; pois, além de favorecer o Marketing, utilizar o Business Intelligence com o Job Rotation favorece, também, o RH ao fornecer informações importantes sobre as áreas que necessitam de mais treinamento, especialização ou contratação.

Como terceiro motivo para usar implementar essas duas estratégias está em integrar e otimizar diversos setores de uma empresa. Isso acontece porque com o BI a empresa pode analisar dados para verificar quais pessoas trabalham melhor juntas, quais setores podem se integrar e quais funções os colaboradores fazem melhor.

Somente assim é possível ter uma visão genuína da realidade da empresa e, dessa forma, tomar a melhor decisão possível, que pode ser investir, criar estratégias, implementar táticas novas, cortar custos, etc.

Por fim, o Business Intelligence mostra-se uma ferramenta útil para acompanhar as tendências do mercado. Uma vez que os dados levantados vão além os de sua própria empresa, mas das concorrentes, e dos clientes, é possível fazer planejamentos mais assertivos e rápidos, para adaptar sua empresa às mudanças do mercado, e ir além, transformando-a numa líder do ramo e criadora de tendências.

Agora que você já percebeu o quanto os dados são importantes para que uma empresa sobreviva atualmente, implemente o Business Intelligence e o Job Rotation nas suas operações e não aguarde muito pelos resultados!

Compartilhe:
cadastro-empresa-newsletter

Dicas e insights relevantes para auxiliar no crescimento do seu negócio!

    Deixe um comentário

    logo-cadastro-empresa-blog

    © 2013-2022 Cadastro Empresa

    Política de Privacidade

    Você já conhece nossas redes sociais?!