Conheça o que é Empowerment e saiba como aplicar no seu planejamento empresarial

É bem comum que o mundo dos negócios tome emprestado alguns termos da cultura ou de outras áreas do conhecimento, e o Empowerment é usado cada vez mais para melhorar o planejamento empresarial. Da mesma forma, o mundo dos negócios também devolve seus próprios termos à sociedade.

A ideia de empowerment, que traduzimos para “empoderamento”, tem um contexto de autonomia no ambiente empresarial, pois se trata de dar mais poder de decisão aos colaboradores, de modo a gera um ambiente de trabalho mais dinâmico, além de reforçar o senso de pertencimento de cada funcionário da empresa, independente de qual setor trabalhe.

Por ser um ambiente definido como um conjunto de pessoas e processos diferentes, onde cada um trabalha com o mesmo objetivo final, isto é, o lucro da empresa, a rotina de operações pode se tornar complicada. O maior problema das empresas é a burocracia e a lentidão nos processos, e muito disso tem a ver com a falta de autonomia dos colaboradores.

Quando o Empowerment faz parte do planejamento empresarial, o ritmo de trabalho aumenta e ganha qualidade, o que reflete em outros aspectos da empresa, como o planejamento financeiro ou o planejamento tático. As informações são distribuídas mais igualitariamente das lideranças para os funcionários, que se tornam mais capazes de exercer diversas funções sem precisar de orientação o tempo inteiro.

De fato, quanto mais os colaboradores sabem acerca do funcionamento, posicionamento e metas específicas da própria empresa, melhor é o desempenho de cada um deles. As lideranças são vistas não como uma barreira, mas como uma abertura a sugestões, estratégias e novas formas de desempenhar as funções.

Conheça a seguir mais detalhes do que é o Empowerment, os aspectos de seu funcionamento e como impacta o planejamento empresarial do mercado. Veja como essa forma de operar afeta a administração das empresas e quais são os seus benefícios e aplicações!

O que é Empowerment no planejamento empresarial?

O conceito de Empowerment, no contexto do planejamento empresarial, se trata de uma visão específica que visa descentralizar o poder de decisão da corporação. Toda empresa tem a sua hierarquia própria, a qual é implementada por todos os setores que, tradicionalmente, é bem rígida.

O que faz uma hierarquia muito rígida? Na prática, quando as lideranças não permitem muita abertura, e quando há uma cultura de centralização de poder, o que acontece é que as estratégias e decisões ficam todas concentradas na figura dos gestores.

Obviamente, isso faz parte das funções de gestor, em todos os setores. Mas, a concentração exagerada do poder de decisão acarreta um desequilíbrio na empresa. De um lado, os líderes se tornam sobrecarregados e cheios de atribuições, de outro, os colaboradores não exploram o máximo de suas capacidades e não participam de processos criativos da empresa.

Quais benefícios da aplicação do Empowerment
Fonte/Reprodução: original

Leia mais: Como negociar com o cliente na primeira compra? [10 dicas para fidelizar o cliente]

Além dessa visão, tornar as operações mais lentas e burocráticas também traz o problema de desmotivar os colaboradores. Quando um funcionário nota que sempre desempenha a mesma função, sem qualquer dinamismo ou aproveitamento de suas habilidades, ele sente-se desvalorizado e não consegue mais encontrar motivação para fazer um bom trabalho.

Isso gera, como última consequência, um ambiente de trabalho onde só os gestores estão realmente envolvidos com a empresa. Parte da motivação para fazer um bom serviço está em se sentir parte de um todo, isto é, da empresa.

Quando o colaborador sente que seu trabalho e decisões impactam diretamente no futuro da empresa, ele se torna automaticamente mais responsável em buscar qualidades para justificar o poder de decisão da sua escolha.

Podemos dizer, em última análise, que o Empowerment serve para equilibrar o fluxo de operações de uma empresa, através do redirecionamento do poder.

Não é tirar o poder da liderança e transferi-los aos grupos, mas manter o poder da liderança e estrategicamente entregar um pouco dele aos colaboradores.

Como funciona o Empowerment?

No planejamento empresarial, o Empowerment funciona a partir de quatro pilares principais:

  • Poder;

Diz respeito ao direcionamento da autonomia e das formas que ele terá. É dar um pouco de poder, e com isso, de responsabilidades, a cada colaborador, de maneira que eles consigam ter autonomia sobre sua área de domínio.

Conforme os funcionários têm mais poder para tomar decisões, isso reforça o relacionamento de confiança entre líderes e liderados.

  • Desenvolvimento;

Dar meios para que o poder seja colocado em prática. É basicamente impossível implantar o empowerment no planejamento empresarial sem antes dar aos colaboradores o conhecimento para isso.

Logo, o desenvolvimento se dá ao investir em ferramentas, como cursos, treinamentos, material, para que cada funcionário possa obter desenvolvimento pessoal e profissional, de forma que se torne apto a exercer poder.

  • Motivação;

Motivação é um aspecto do Empowerment que deve ser observado constantemente. É preciso que os líderes trabalhem o motivacional do grupo com frequência, de forma que o trabalho feito no desenvolvimento possa gerar bons efeitos.

  • Liderança;

Por fim, o aspecto da liderança é vital para que o Empowerment funcione no planejamento empresarial. Não apenas os gestores devem ser bons líderes, mas ensinar liderança e proatividade para cada colaborador, de forma que eles sejam capazes de tomar suas próprias decisões. Para isso, é preciso informar aos colaboradores acerca do planejamento, desempenho atual e metas da empresa.

Como é o Empowerment para administração de empresas?

Uma vez conhecidos os quatro aspectos que mostram como o Empowerment funciona, resta a pergunta: como funciona no planejamento empresarial?

No que diz respeito a administração de empresas, o Empowerment pode ser visto como uma poderosa ferramenta que muda a mentalidade e a cultura da empresa. Ela tem como objetivo derrubar a lentidão dos processos e a burocracia.

A implementação do Empowerment deve contemplar todo o planejamento empresarial, isto é, precisa passar pelas lideranças de todos os setores. Obviamente, a implementação da autonomia é bem específica e determinada, afinal, o colaborador ainda deve ser especialista nas funções relativas a sua própria área.

Então, para que o Empowerment realmente melhore a administração da empresa, é necessário que haja também um equilíbrio na descentralização do poder: nem poder demais, nem poder nenhum.

O poder, a responsabilidade, a delegação de funções são coisas que apelam à natureza humana de cada um. Passa a mensagem de motivação, valorização e isso gera, como resposta, um bom trabalho. O colaborador, com o poder de decisão que lhe toca, tornam-se mais criativos e proativos, o que otimiza os processos em seu setor. Ao transferir o empowerment para cada setor, toda a empresa cresce junto.

Quais benefícios da aplicação do Empowerment?

É possível entender ainda melhor como o Empowerment funciona no planejamento empresarial ao verificar todos os benefícios que essa visão de trabalho gera.

O primeiro benefício é a motivação dos colaboradores, pois quando eles têm mais responsabilidades, sentem que a empresa os valoriza e confiam em seu trabalho. Isso faz com que eles trabalhem com muito mais qualidade.

O que é Empowerment no planejamento empresarial
Fonte/Reprodução: original

Leia também: Gestão de compras: 9 dicas para reduzir os custos da sua empresa [e mais…]

O segundo benefício tem a ver com o desenvolvimento, que gera mais conhecimento para os colaboradores. Quanto mais aprendem, mais se tornam especialistas em suas áreas.
Já o terceiro benefício é a proatividade, a qual pode ser considerada uma consequência direta dos benefícios da motivação e do conhecimento.

O quarto benefício é a agilidade para tomar decisões. Munidos de informações sobre o desempenho da empresa e suas metas, cada colaborador é capaz de tomar decisões melhores e com mais rapidez.

Já o quinto benefício, que é a responsabilidade e autonomia dos colaboradores, reflete no último benefício que é a contribuição para o desenvolvimento a nível individual e coletivo.

Qual objetivo do Empowerment no meio profissional?

Apesar de ser um processo lento, pois envolve mudar a cultura da empresa, o objetivo do Empowerment é realmente transformar as operações da empresa, em todos os setores.

O trabalho da motivação e a descentralização do poder traz à realidade o objetivo de obter uma empresa onde há um nível alto de integração entre setores, bem como de autonomia para todos os colaboradores.

Com isso, o objetivo maior é conquistado, que é criar um ambiente de empresa de crescimento constante, propício à implementação de novas estratégias e apto o obter mais clientes e fidelização.

Como deve ser aplicado o Empowerment?

Se o empowerment fosse tão fácil de aplicar, esse assunto nem sequer existiria, pois todas as empresas já teriam essa prática internalizada em cada colaborador. Mas, aos poucos, com metas a longo prazo, é possível aplicar essa visão na empresa através da: comunicação, reconhecimento, incentivo e compartilhamento de informações.

Comunicação

A comunicação deve mudar completamente do modelo verticalizado para um modelo horizontal. É importante sair do tradicional “ordens de cima” e nada além disso, pois por mais que os gestores sejam experientes, eles devem estar aptos a ouvir o tempo inteiro.

É importante mostrar aos colaboradores que suas opiniões são ouvidas e criar canais de comunicação, para que eles possam falar e dar sugestões. Fazer pesquisas sobre o nível de satisfação dos funcionários também vale a pena.

Reconhecimento

O reconhecimento por um bom trabalho começa no salário, mas pode ser estendido de diversos aspectos. Isso é uma questão, novamente, de valorizar a pessoa e o trabalho de cada colaborador e gestor. Já é uma noção comum que os melhores talentos buscam bons salários, mas também satisfação profissional.

Isso tem muito a ver com a atitude dos líderes em relação a cada liderado. Se um gestor aprende a reconhecer quando um colaborador faz um bom trabalho, faz um elogio, mostra onde acertou, entre outros comentários positivos, ele demonstra dessa forma o reconhecimento.

Incentivo

Incentivar significa proporcionar um bom ambiente de trabalho, além de impulsionar o desempenho do colaborador e parabenizar pelo seu serviço. Obviamente, é necessário cobrar, mas essa relação deve ser temperada com o incentivo e valorização.

Novamente, isso aumenta a sensação de pertencimento dos funcionários, o que faz ele ficar na empresa por muito tempo e, inclusive, crescer com ela.

Além de incentivar o trabalho de cada funcionário, o bom gestor também deve saber incentivar as ideias. Por exercer funções dentro de um determinado setor todos os dias, muito provavelmente o colaborador será capaz de oferecer boas sugestões para otimizar o trabalho, além de ideias para estratégias futuras.

Mas para que as sugestões sejam ouvidas, é necessário demonstrar aos funcionários que eles serão ouvidos, e que todas as ideias são bem vindas, ao menos para conhecê-las.

Compartilhamento de informações

Por fim, uma outra forma de implementar o empowerment no planejamento empresarial é através do compartilhamento de informações sobre a empresa com os colaboradores. Ao invés de ater-se apenas às metas diárias, semanais ou mensais, vale a pena abranger essas informações, falar sobre o posicionamento da empresa e porquê, seu status de desenvolvimento atual e quais são as metas para o futuro.

Isso “enche os olhos” dos funcionários e os incentiva a otimizar suas funções, pois eles se sentem participantes ativos no destino da empresa. É um mix de responsabilidade com pertencimento.

Empowerment do consumidor

O mais interessante de tudo é que a noção de Empowerment pode ser transferida, também, ao consumidor. Podemos resumir esse tipo em quatro formas:

  • A primeira é em relação ao poder de escolha do consumidor, com o aumento de conteúdo e informação sobre os produtos, serviços, e seus respectivos universos.
  • Outro tipo de poder é relacionado a influência que as preferências do consumidor exercem nas campanhas publicitárias.
  • O terceiro tipo de empowerment é sobre a opinião. Com a internet veloz e o uso das redes, as pessoas ganharam mais voz para opinarem sobre uma empresa e seus produtos ou serviços.
  • Por fim, o quarto tipo de empowerment do consumidor acontece quando o próprio colaborador de uma empresa consome seus produtos ou serviços.

Agora que você já viu o valor do Empowerment para o planejamento empresarial, o próximo passo é rever todas as operações em sua empresa e, aos poucos, descentralizar o poder, treinar gestores e colaboradores e implantar a cultura da autonomia em seu negócio!

Compartilhe:
cadastro-empresa-newsletter

Dicas e insights relevantes para auxiliar no crescimento do seu negócio!

    Deixe um comentário

    logo-cadastro-empresa-blog

    © 2013-2022 Cadastro Empresa

    Política de Privacidade

    Você já conhece nossas redes sociais?!