O plano de negócio é um instrumento utilizado no momento de abrir, manter ou ampliar uma empresa. Além de especificar o planejamento financeiro, essa ferramenta demonstra o fluxo operacional e o plano de marketing do negócio. É nela que são retratadas as características do empreendimento e a forma como o negócio será inserido no mercado.

A análise do plano de negócio indicará se o empreendimento é viável e o rumo que deverá ser tomado para que os objetivos organizacionais sejam alcançados. Quando bem feito, esse documento minimiza os riscos e a possibilidade de fracasso e insucesso do estabelecimento.

Com a instabilidade do mercado, todos os itens abordados no plano de negócio devem ser revistos periodicamente. Sempre que necessário, eles devem ser reformulados e completados, de forma a retratar a realidade da empresa de forma mais fidedigna possível. Essa ferramenta é um recurso essencial para que o administrador possa planejar as atividades empresariais de curto e longo prazo, buscando sempre competitividade e diferenciais para a organização.

A seguir as partes que fazem parte de um modelo de plano de negócios.

Sumário

É um resumo de todo plano de negócio. Por esse motivo, muitos especialistas recomendam escrever esse primeiro tópico por último. Ele deve conter uma breve descrição da empresa, a sua missão, seus valores e os principais objetivos. Também deve constar os produtos e serviços comercializados, a localização do empreendimento, o tipo de clientela, os fornecedores,o investimento total necessário, a forma jurídica e o enquadramento tributário.

Deve ser simples, conciso, bem escrito e capaz de despertar o interesse em quem está lendo o documento.

Análise de mercado

É nessa etapa que os clientes, concorrentes e fornecedores devem ser estudados detalhadamente. O público-alvo deve ser identificado e o seu comportamento deve ser compreendido. São diversas as formas como essas informações podem ser levantadas. Muitos empreendedores utilizam recursos como questionários e entrevistas oficiais, enquanto outros apenas batem um papo informal com o público alvo.

Através da análise de todos os pontos do mercado, que o gestor saberá o norte da empresa, bem como os esforços que devem ser realizados. Assim todas as áreas do negócio trabalharão em sinergia, em busca de um objetivo em comum.

Plano de Marketing

Independentemente do tipo e do tamanho da empresa, o Plano de Marketing busca especificar os objetivos e as ações de marketing necessárias para que os objetivos empresariais sejam alcançados.

Para criar um plano de marketing de qualidade, é necessário refletir quais são os fatores internos e externos que podem influenciar a empresa, impactando nas forças e fraquezas organizacionais, bem como nas ameaças e oportunidades de mercado.

A análise de mercado realizada na etapa anterior irá fazer com que o plano de marketing seja feito de maneira correta e focada.

Plano Operacional

O plano operacional, como o próprio nome diz, é a etapa do plano de negócio que identifica todas as operações executadas pela organização para que os objetivos empresariais sejam alcançados. É nessa etapa que são estabelecidas as tarefas individuais dos colaboradores, as ferramentas utilizadas e os recursos necessários.

Aqui todas as atividades rotineiras do estabelecimento precisam ser identificadas e descritas de acordo com a política e cultura da empresa. Todos os envolvidos no processo devem compreender perfeitamente as tarefas a serem executadas, mesmo que para isso as atividades sejam segmentadas de maneira bem simples e básicas.

O plano operacional deve levar em consideração tanto os objetivos como as características empresariais. Nessa etapa, além de definir os responsáveis por cada uma das operações. esse documento deve indicar os lugares onde os processos serão realizadas, o cronograma de entrega dos produtos e o orçamento da empresa.

Plano Financeiro

Ficar atento e observar o plano financeiro é indispensável para que a empresa se torne sólida, vitoriosa e rentável. É a falta de atenção nesta última etapa do plano de negócios que impulsiona várias empresas a falência. Aqui o orçamento, fluxo de caixa e balanço patrimonial empresarial são demonstrados e analisados, permitindo aos gestores avaliarem o desempenho da empresa e corrigir, se for necessário, os rumos a serem tomados.

Para fazer um plano financeiro de qualidade, é necessário observar os detalhes do negócio e as metas da empresa. Após essa análise, o gestor deve definir o investimento inicial e fazer uma projeção realística das despesas e receitas organizacionais. Existem muitos indicadores de viabilidade que também devem ser levados em consideração. Como exemplo temos a taxa interna de retorno, o valor presente líquido e o payback. Eles irão medir e indicar se o negócio é ou não viável.

Lembrando que, no momento de confeccionar e analisar um plano de negócios, é muito importante pedir para que o contador confira e avalie alguns dados financeiros inseridos, principalmente aqueles que se referem a dados fiscais e tributárias. A experiência e o conhecimento desse profissional trará mais confiança e um resultado mais condizente com a realidade.