Como Montar Uma Criação de Rãs

Como Montar Uma Criação de Rãs
Como Montar Uma Criação de Rãs

Aprenda informações e o passo a passo de como montar uma criação de rãsComer rã ainda não é usual no Brasil, mas pode ser em breve, pois já tem os seus adeptos. São poucos os que curtem este tipo de prato na refeição, mas a tendência é que cresça devido ao valor nutricional e ao sabor diferenciado da rã em uma refeição. A carne é considerada um prato leve e é rica em proteínas, além de ser considerada no meio gastronômico uma iguaria no menu.

Para quem pensou em começar uma criação de rãs, chamada de ranicultura, saiba que está entrando em um ótimo negócio. Elas são fáceis de criar, exigem um investimento inicial baixo e ainda possuem um bom valor de mercado pela pouca oferta de criadores existentes. O preço de um quilo de carne de rã custa em torno de R$ 20 em algumas cidades para venda em atacado e R$ 40 para a venda no varejo, para o consumidor que quer fazer o prato em casa. Ou seja: um excelente empreendimento para se investir.

Veja também:

 

Como iniciar uma criação de rãs

A rã não é um dos animais mais adorados para se ter em casa, então é melhor evitar fazer uma criação em bairros residenciais mesmo que se tenha espaço, o que vai ser preciso. Jamais opte por começar uma criação em apartamentos, mesmo com boa área ou um apartamento por andar, pois estes animais tendem a fugir bastante e é considerada ilegal, uma criação em área residencial, com sujeição a multa e detenção em prisão. O ideal é que seja montada uma criação de rãs em sítios ou ambientes rurais com espaço e água potável em abundância.

Estrutura para a criação de rãs

A estrutura a ser montada para a criação de rãs é mínima. É preciso apenas de água, os girinos para a criação e um tanque grande para que estas se acomodem. Alguma vegetação que se assemelhe a seu habitat natural e que se desenvolva na água é recomendada, além de água limpa e com oxigênio, pois a respiração deste animal é cutânea também. Assim, água mineral está descartada. A dica é usar água de poço ou de mina, bem presente em regiões rurais.

O local em que as rãs devem ser criadas, também chamado de ranário, deve ser um tanque com compartimentos em formato retangular, com laterais em cimento ou placas pré-moldadas de argamassa. Jamais use azulejo, pois é mais caro e jamais pode ser criada na lateral uma vegetação que lembre o habitat das rãs e onde elas se sintam mais confortáveis. É ideal ainda que se tenha um pequeno declive no fundo do tanque, para que sejam ali depositados os girinos para crescimento em período de reprodução. A profundidade não deve variar em mais de 40 centímetros. Esse modelo é chamado de


tanque ilha e é o mais usado hoje em dia.

É preciso informar que o tanque só será usado pelas rãs mais novas, pois este animal possui duas fases: a aquática e a terrestre. Depois de seus dois meses de vida, as rãs devem ser transportadas para uma área seca próximo a água, como um terreno à beira de um lago, onde elas vão se alimentar e assim crescer fortes para o abate e posterior venda.

Toda essa área para montagem de estrutura deve medir, em média, 800 metros quadrados, o que exige um ambiente grande. Também precisa ser iluminado, mas não diretamente pelo sol, o que causa a morte das rãs quando expostas por longo período, pois elas possuem a respiração cutânea. Uma dica é construir um tanque com baias que permita às rãs desfrutarem ao mesmo tempo da água e da parte seca, aguardando o período ideal para o abate e venda. Este modelo de estrutura poupa espaço, é mais barato e pode ser usado tanto para criação de rãs de grande porte como de pequeno porte.

Alimentação das rãs em criadouro

Em ambiente natural, as rãs se alimentariam de insetos, mas para criação o ideal é que seja administrada uma ração balanceada ao menos quatro vezes ao dia. Enquanto ainda são girinos, a dosagem é menor, mas sempre quatro vezes ao dia, para que cresçam e se tornem rãs saudáveis para o abate. As rãs também podem ser alimentadas com larvas de dípteros (moscas), mas vivas e não mortas, pois as rãs são caçadoras e dão sempre preferência ao que ainda tem vida. Tanto ração como larvas devem ser jogadas próximas para que ela busque sozinha e assim se exercite, o que a fará comer mais.

Raça para criação de rãs

Antes de começar a criação de rãs, as matrizes devem ser compradas sempre com a ajuda de um zootécnico para avaliar se estão em boas condições para reprodução. A rã mais usada para a reprodução em criadouro é a rã-touro, cujo nome cientifico é Rana catesbeiana. Ela se reproduz mais vezes, se adapta mais adaptáveis ao ambiente de criadouro e possui grande aumento de peso.

Reprodução das rãs

Com temperatura ideal, sempre quente ou natural, as rãs se reproduzem em media quatro vezes ao ano e sempre com uma grande quantidade de ovos. O ideal é que eles sejam separados e colocados em outro tanque para acompanhamento e, quando os girinos nascerem, alimentados adequadamente.

Após os ovos serem colocados no fundo do tanque, os girinos irão aparecer em torno de vinte dias depois. É normal que 30% dos ovos não se desenvolvam, mas o percentual tende a melhorar com o tempo e com a adaptação do animal ao habitat. Lembre-se de separar os animais mais novos dos mais velhos e saiba escolher os melhores reprodutores para continuar a produção, que geralmente são as rãs que colocam mais ovos e são mais gordas.

Deve-se respeitar o período mínimo de quatro meses até a transformação completa do girino em rã antes de começar o abate para venda. Espere que eles alcancem a forma adulta completa, porque alcançam maior peso, são mais propícios para alimentação e estão com melhor sabor.

Ficou interessado em montar uma criação de rãs? Deixe seu depoimento: