Como Montar Uma Criação de Camarão

Como Montar Uma Criação de Camarão
Como Montar Uma Criação de Camarão

Saiba o passo a passo de como fazer a criação de camarão, uma atividade ainda não tão explorada no Brasil, e lucrar com ela. Apesar de o camarão ser um prato muito apreciado no Brasil, a criação deste animal, também chamada de carcinicultura, ainda é uma atividade que está em expansão pelo país.

Os criadores ainda estão se aventurando no ramo, mesmo sabendo que esta é uma das formas de negócio mais lucrativas que existem, uma vez que o consumo do camarão apenas cresce, seja para degustação caseira, seja para bares e restaurantes em todo o território nacional. Trabalhar com criação de camarão pode ser lucrativo também para quem pensa em exportar, pois o crustáceo brasileiro é um dos mais queridos no mercado exterior.

A dica para quem está começando agora na criação de camarão é investir em poucas matrizes para ir aprendendo. Assim, o capital inicial investido será reduzido e terá um tempo para aprender a administrar a criação e modificar qualquer ponto na estrutura que não esteja apropriada para a maior obtenção de lucro.

A boa notícia é que começar uma criação de camarão não é um empreendimento dos mais caros e há uma grande possibilidade de retorno. Estima-se que o investimento inicial com as matrizes gire em torno de R$ 15 para uma criação de camarão básica e de pequeno porte, com o retorno financeiro estimado em 16 meses.

O que mais atrai os investidores a entrar neste ramo e montar uma criação de camarão é o preço comercial do crustáceo, que é alto. O quilo do camarão custa em média R$ 6 para o produtor e será vendido por R$ 15 em média, variando por cidade e região e por período. Um lucro de mais de 100% por quilo, que estimula qualquer empreendedor a entrar neste ramo.

Veja também nossas dicas para :

Estrutura para a criação de camarão

Camarões são criados em tanques, bem semelhantes à criação de peixes. Os tanques são semelhantes a piscinas, com água potável abastecida por meio de bomba de água. Os tanques precisam estar ligados a um encanamento estratégico e com escoadouro para esgoto. Precisam ainda estar em água coberta e isso pode ser feito de várias formas. O ideal é que o tanque tenha capacidade para até 12 camarões por metro quadrado para gerar uma alta lucratividade. Muito mais do que esse número, será inviável controlar a qualidade do crustáceo para a venda e também para limpeza do local.

A estrutura vai variar muito de acordo com o porte da criação. O ideal é que o empreendimento seja feito em sítios ou em fazendas próprios para isso, em local com bastante espaço e área livre ao redor para suprir necessidades com o transporte para a venda e empacotamento em gelo.

Eles podem ser criados ao ar livre ou cobertos, desde que tenham como receber iluminação artificial ou não. Em locais com grandes criações, são construídas piscinas com em média um metro e meio de profundidade, mas essa opção pode ser uma segunda etapa, somente quando o investimento já estiver dando


lucros.

A maioria dos criadores prefere investir em uma criação de camarão com estrutura semi-intensiva, ou seja, com viveiros de fundo natural, retangulares, com circulação de água por meio de bombeamento. Tal estrutura a ser montada fica em torno de R$ 8 mil. É preciso ainda respeitar os limites da espécie quanto à luz solar. Alguns camarões não gostam de água iluminada e nem quente demais, ou seja, o ideal seria manter o viveiro a uma temperatura constante de 25º C.

Tipos de camarão para montar a criação

Os camarões de água doce mais usados em criação são os Macrobrachium rosenbergii, que já estão no Brasil sendo criados para a finalidade de alimentação desde o ano de 1977. Já em água salgada, os camarões cultivados em criadouro mais conhecidos são os L. vannamei, também com longo tempo de experiência no país.

Existem hoje, mais de setenta espécies de camarão, mas algumas são mais recomendadas para criação pelo alto peso que alcançam. No Brasil, a mais usada para montar uma criação de camarão é a de nome cientifico Macrobrachium rosenbergii, também conhecida como camarão da Malásia pela sua origem e local onde é mais abundante.

Esta espécie alcança alto peso rapidamente, tem desenvolvimento excelente em cativeiro e necessita de pouco ou nenhum cuidado durante a sua reprodução, sendo a mais indicada para iniciantes neste empreendimento.

O camarão da Malásia é um dos mais queridos para este tipo de empreendimento, porque alcança o peso ideal em seis meses, dois meses a menos que outras espécies. Também pode ser cultivado em todas as regiões brasileiras, principalmente as mais quentes.

Mais criações:

Alimentação para a criação de camarões

O ideal é que camarões cultivados em cativeiro sejam alimentados com ração especifica, elaborada por um zoo técnico. Elas podem ser compradas em casas de rações e constituem-se basicamente de salinidade para os camarões de água salgada e nutrientes que ajudam no período de engorda das larvas, forma de seus primeiros meses de nascido. Podem ser compradas prontas em casa de ração ou encomendadas a distribuidores especializados na fabricação deste tipo de alimento. São vendidas por quilo.

Reprodução do camarão

Os camarões se reproduzem por ovos e para um criador não há com que se preocupar. O processo é natural e não precisa ser estimulado, apenas vigiado para separar os filhotes em outro tanque, caso o desejar, para que estes sejam alimentados para uma posterior venda em um período de seis meses.

É importante separar os filhotes dos pais apenas para que a raça não desenvolva pequenos problemas genéticos, uma vez que o mesmo DNA familiar estará se reproduzindo inúmeras vezes. O ideal é que os animais matrizes, os que vão começar a criação, sejam trocado em um período de dois anos por novos.

Dê preferência às raças puras ou já geneticamente modificadas para ajudar na criação, mas tenha cuidado para comprar crustáceos com boa procedência. O ideal é que seja pedida uma avaliação de zoo técnico ou especialista em camarão antes de fazer a compra.

Ficou interessado em montar a sua criação de camarão com o nosso passo a passo? Então mãos à obra!